Skip to content

Dólar opera em alta após dois dias de queda acentuada

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

CÂMBIO NEWS – RESUMO DIÁRIO DE NOTICIAS SOBRE O MERCADO DE CÂMBIO – 26/08/2021

O dólar opera em alta nesta quinta-feira (26), após dois dias de queda acentuada em meio a um bom humor externo.

Às 9h34, a moeda norte-americana era vendida a R$ 5,21, em alta de 0,22%. Veja mais cotações.

Na quarta-feira, o dólar fechou em queda de 0,96%, a R$ 5,2113. No mês, acumula alta de 0,03%. No ano, o avanço é de 0,46% ante o real.

Fonte: TradingView

Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta quinta-feira

1. PIB, pedidos de auxílio-desemprego e dados de preços preparam o terreno para Powell

Os dados econômicos dos EUA assumem um significado especial hoje, renovando o pano de fundo para o aguardado discurso de Jerome Powell na sexta-feira no simpósio do Federal Reserve em Jackson Hole.

A primeira revisão dos dados de PIB para o segundo trimestre será divulgada às 9h30 e, embora seja em grande parte retroativa, alguns de seus subcomponentes serão ainda de interesse – notavelmente o índice de preços de despesas de consumo pessoal (PCE, na sigla em inglês), que é a medida preferida do Fed para a inflação.

LEIA MAIS: Inflação dos EUA é temporária, diz Bernanke

Os preços do núcleo do PCE aumentaram 6,1% no ano até o segundo trimestre, de acordo com a primeira estimativa do governo. Qualquer revisão desse número pode afetar a percepção da disposição de Powell de sinalizar uma redução gradual das compras de títulos na sexta-feira.

Além de tudo isso, haverá os números (mais oportunos) dos pedidos iniciais por seguro-desemprego também às 09h30, e o Fed de Kansas divulga a pesquisa regional de negócios às 12h00.

VEJA TAMBÉM – A “Open Mouth” do Fed: o Que Esperar do Simpósio de Jackson Hole

2. Ensaio de apaziguamento político no Brasil

O mercado reagiu bem ao noticiário político de ontem, com o Ibovespa apresentando forte recuperação e o dólar em queda expressiva. O movimento é impulsionado pelos sinais de apaziguamento da crise política. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), disse que não pautará o pedido de impeachment do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes.

A ação havia sido protocolada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que também pretendia pedir pelo impeachment do ministro Luís Roberto Barroso. Diante da recusa de Pacheco em seguir por esse caminho, a ala política do governo de Bolsonaro recomendou que o presidente deixe de lado esse discurso para aliviar a tensão entre os poderes e evitar uma crise institucional maior.

Outro cenário que favoreceu o mercado ontem foi a fala do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), no evento Expert XP, na qual disse que não vai votar propostas que desrespeitem o teto de gastos. A discussão sobre as condições fiscais do país continuará hoje no mesmo evento, às 15h, com a participação do ministro da Economia, Paulo Guedes.

Na véspera, o Ibovespa fechou em alta de 0,5%, retornando ao patamar dos 120 mil pontos, enquanto o dólar caiu 0,66% a R$ 5,2109.

CONFIRA: Cotação das ações brasileiras

3. Coreia do Sul começa a apertar política monetária; ata do BCE

Alguns bancos centrais, é claro, não estão esperando pelo Fed. O Banco da Coreia do Sul se tornou o maior banco central da Ásia a começar a apertar a política monetária após a ostentação do ano passado no primeiro estágio da pandemia.

O banco elevou sua taxa básica de 0,5% para 0,75%, uma decisão que não era esperada pela maioria dos analistas.

A política frouxa adotada no ano passado alimentou um boom nos preços das casas e um aumento na dívida das famílias, ambos os quais estão crescendo a taxas anuais de mais de 10%.

Na Europa, o Banco Central Europeu está programado para divulgar as atas de sua última reunião de política monetária, mas é improvável que produza quaisquer temores de um aperto monetário, dados os avisos sobre o perspectivas de crescimento da Alemanha nos últimos dias. O índice de confiança do consumidor da Alemanha em setembro despencou, segundo pesquisa GfK.

CONFIRA: Cotação dos principais índices globais

4. Ações devem abrir mistas nos EUA; SEC e ESG

As ações dos EUA devem abrir mistas mais tarde, depois de alcançar novos recordes de alta em um dia baixo volume na quarta-feira. Os movimentos pré-mercado estão parecendo moderados, com os investidores já segurando grandes novas apostas até depois dos dados de hoje e do discurso de Powell na sexta-feira.

Às 08h38, Dow Jones Futuros subia 0,13%, enquanto S&P 500 Futuros e Nasdaq 100 Futuros tinham queda de 0,2% e 0,12%. O EWZ, ETF que mede o desempenho das ações brasileiras nos EUA, operava estável.

Já os reguladores dos EUA agitaram o mundo aconchegante e agradável dos investimentos em ESG, com uma investigação sobre alegações de denúncias no grupo alemão DWS (DE: DWSG), gestor de ativos do Deutsche Bank (DE:DBKGn) (SA:DBAG34).

O Wall Street Journal relatou que pessoas familiarizadas com o assunto disseram que a Securities and Exchange Commission está nos estágios iniciais de análise das alegações do ex-chefe de sustentabilidade da DWS de que a empresa exagerou no uso de meios ambientais, sociais e referências relacionados à governança. As ações da DWS, a maioria das quais de propriedade do Deutsche Bank, caíram acentuadamente na manhã europeia.

Os investimentos ESG têm sido a nova área mais quente para gestores de dinheiro institucionais nos últimos anos, oferecendo uma nova maneira de oferecer produtos premium em um momento em que estratégias de investimento passivo mais baratas estão corroendo seus negócios tradicionais. Os ativos administrados por fundos ESG mais do que triplicaram em dois anos, para mais de US$ 2 trilhões, de acordo com dados da Morningstar.

LEIA MAIS – ESG em alta: Conheça fundos brasileiros com critérios de sustentabilidade

5. O petróleo enfrenta dificuldades após as últimas preocupações chinesas

Os preços do petróleo lutaram com resistência em torno do nível de US$ 70 o barril, apesar dos dados do governo dos EUA mostrarem queda ​​dos estoques de petróleo e gasolina conforme o Dia do Trabalho, tradicionalmente visto como o fim da temporada de carros de verão, se aproxima .

Por volta das 08h44, os contratos futuros do petróleo WTI caíam 0,82% a US$ 67,69 o barril, enquanto petróleo Brent recuava 0,83% a US$ 70,68 o barril, ambos os benchmarks se consolidando após um aumento sólido no início da semana em resposta aos dados econômicos dos EUA e da China.

CONFIRA: Cotação das principais commodities globais

Outras commodities também estiveram em modo de consolidação, com metais básicos e preciosos caindo, com a China sinalizando novas medidas para esfriar o setor imobiliário, encerrando uma alta de três dias nas ações locais.

https://br.investing.com/news/stock-market-news/fique-por-dentro-das-5-principais-noticias-do-mercado-desta-quintafeira-909862
https://g1.globo.com/economia/noticia/2021/08/26/dolar.ghtml

Siga nossas redes

Veja mais

Exchange

Dólar sobe forte e opera acima de R$ 5,30

CÂMBIO NEWS – RESUMO DIÁRIO DE NOTICIAS SOBRE O MERCADO DE CÂMBIO – 20/09/2021 O dólar opera em forte alta nesta segunda-feira (20), na entrada em